quinta-feira, 8 de junho de 2017

Texto 2 de 3 - Série Depressão


Onde está a alegria?


No texto 1 vimos que a depressão é identificada quando o quadro de tristeza de um indivíduo se mostra prolongado e quando não há um fato/acontecimento negativo que opere como causa dessa tristeza, mas sim um estado de espírito permanente e indiferente a novos acontecimentos positivos.
Partindo deste conhecimento e desta relação entre a depressão e a tristeza podemos afirmar então que o remédio para tal mal tem como ingrediente base a ALEGRIA!!! É necessário encontra-la afim de reverter os dias tristes em dias de possibilidades. SIM! Não teremos todos os dias alegres. Quem não está em depressão também não está alegre o tempo todo. Mas lembre-se: também não está em estado permanente de tristeza. Volto a dizer que não excluo a necessidade de acompanhamento médico, porém afirmo com convicção que tudo pode se resolver se você crer no que vou expor aqui.
Já estive em depressão. Mais de uma vez! Não é fácil. Quase não fui capaz de identificar o que realmente estava acontecendo comigo. Porque tinha dias em que tudo parecia “normal”. Então chegava o momento da solidão e do silêncio. Aquele momento em que não havia ocupação para minha mente e o vazio me inundava! Busquei fugas em vários vícios! Busquei me contaminar com a alegria errada – aquela falsa e fugaz. Mas bastava o silêncio voltar e lá estava a tristeza novamente. Agora junto com remorsos e dores!

Nada externo preenchia o lugar do que estava faltando. Então eu identifiquei o que estava faltando! Esse foi meu primeiro passo. O que fazer agora que já sei do que preciso? CRER!!!
Essa é a hora de você crer também!
Indiscutivelmente você precisa reconhecer do que você é formado e perceber o que está faltando em sua composição. Somos todos formados de corpo, alma e espírito. Seu corpo pode lhe trazer algumas boas sensações que lhe causem prazer e consequentemente alegrias, mas acredite: serão passageiras. Sua alma é sua vontade é aquilo que você deseja para satisfazer o corpo e logo passa ou muda. Mas seu espírito é a sua essência, é vida, é o que te move. Você pode dominar seu corpo e suas vontades, mas o seu espírito tem outro dono, pois na verdade ele é só uma porção de algo maior: o Espírito de Deus!
Mas quando nos afastamos de Deus para fazer as vontades do corpo o espírito se sente pequeno, longe do Todo!
Imagine o pedaço de uma música, o pedaço de um poema, o pedaço de um livro, o pedaço de um chocolate, o pedaço de um filme, o pedaço de um amigo... Quanta alegria isso te daria? E o TODO?
Eu sentia falta da presença do espírito de Deus em mim, completando aquilo que eu não encontrava em ninguém, em nada e em lugar nenhum!
Você ainda não crê?
Experimente desejar Jesus como seu amigo, deixe o Espírito Santo habitar em você e conheça a alegria de conhecer a Deus como você jamais imaginou conhecer.
E se você é cristão, ou diz que acredita em Deus, mas ainda sente esse vazio ou a falta dessa alegria então é por que, por algum motivo, você se afastou do Espírito Santo, portanto esqueça as vontades e busque-O em oração.

Deus abençoe a todos!

Missionária Débora Morais

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Série Depressão- 1 de 3

E se o choro durar mais que uma noite?

Há uma confusão para a maioria das pessoas entre a definição de tristeza e depressão. Trataremos aqui mais desta que daquela, porém ambas sempre estarão ligadas de alguma forma. E para já esclarecer onde uma continua e a outra começa que fique claro que a tristeza prolongada é sintoma da depressão. Ou seja, quando o estado de humor triste, abatido, pessimista, insatisfeito com a vida ultrapassa o limite de ter uma causa específica ou de estar relacionado a um fato isolado, e vira um estado permanente independente das circunstâncias e momentos felizes, então já estamos falando de DEPRESSÃO!

O termo deprimido significa literalmente “pressionado para baixo”. Alguém nessa situação é privado da liberdade de movimentar-se e principalmente de expressar corporalmente suas emoções. Se trata de alguém oprimido, privado, tolhido, aprisionado em seu próprio corpo e/ou mente.
Definitivamente essa não é a definição de um cristão! Não cabe a um adorador a imagem retratada anteriormente. Como podemos crer que alguém que conhece e crê no plano de salvação, alguém que busca a vida eterna com Cristo, alguém que se alegra em saber que Cristo vive, alguém que está cheio do Espírito Santo, alguém que confia na providência de Deus e crê na proteção do Senhor dos Exércitos este mesmo alguém pode viver em estado permanente de tristeza? Como este alguém pode passar mais de uma noite a chorar sem se lembrar de tudo isso que foi citado acima?
Calma! Se você está nessa situação, se tem chorado por mais de uma noite e não tem visto motivos para continuar vivo(a), se tudo perdeu o sentido, se você só tem tristeza e dor em seu peito e nenhum motivo lhe parece suficiente para voltar a sorrir então lembre-se: O SENHOR É O NOSSO REFÚGIO E FORTALEZA, SOCORRO BEM PRESENTE NA ANGÚSTIA. (Sl 46:1)
Não posso negligenciar a possibilidade de você necessitar de ajuda médica, contudo nada terá melhor e mais rápido efeito do que a certeza no coração desse zelo Divino. E por mais duro que seja para você reconhecer que está com este problema, o primeiro passo e o mais importante é aceitar essa verdade e buscar a cura. Para fortalecer a dica deixo o testemunho de quem já enfrentou esse mal – EU! Não há pessoas ou remédios, vícios ou mudanças que lhe ofereçam o que Jesus Cristo oferece.
VINDE A MIM, TODOS OS QUE ESTAIS CANSADOS E OPRIMIDOS, E EU VOS ALIVIAREI. (Mt 11:28)
Ele oferece alívio para as nossas dores, não através de remédios, mas por meio da fé.
A fé é o firme fundamento das coisas que não se pode ver, mas que se espera por reconhecimento da graça de Deus. Portanto, é por reconhecer o amor de Deus, se você se encontra deprimido, que se torna possível acreditar em novas razões para viver, para se alegrar, para libertar suas emoções e até para chorar e entregar todas as suas aflições a Deus em uma oração sincera. Porém o mais importante é crer que um novo dia de vida é mais uma oportunidade para buscar contentamento, para fazer o que gosta, para dizer eu te amo, para fazer alguém sorrir, para se permitir sonhar novamente, para se levantar e tomar posse de suas emoções e provocar essa alegria escondida dentro de você.
Então vamos começar?
Dê o primeiro passo! Diga para você mesmo: eu estou triste hoje, mas essa tristeza vai acabar! Diga isso com firmeza. Acredite no que você está dizendo. Liberte sua mente da opressão!
Agora diga: Eu sou amado (a) por Deus! Isso independe de seus erros ou pecados. Ele te ama e quer te ver feliz. Então repita! DEUS quer me ver feliz!
Se você chegou até aqui então você crê na cura através de Cristo. Sendo assim diga: serei curado (a) pelo amor de Jesus Cristo.
A depressão reflete um estado de espírito, logo você precisa do Espírito Santo para lhe fortalecer e restaurar. Sendo assim ore ao Espírito Santo de Deus para retirar todos os sentimentos e lembranças ruins que lhe afligem e que Ele preencha todos os vazios que lhe inquietam até que você só sinta a alegria da presença de Deus.
Eu lhe garanto que se você cumprir esses passos com verdadeira fé você não acordará do mesmo jeito e o gosto salgado das lágrimas será convertido num sorriso de paz e esperança nas novas possibilidades que Deus tem para sua vida.
Pode até ser que reste um pouco de pessimismo e dúvida minando a sua fé. Mas eu te pergunto: o que você perde em acreditar em tudo que eu disse acima e tentar sair da depressão?
Como desconfio que talvez você tenha feito o passo-a-passo sem muita firmeza então lhe peço que repita e dessa vez ainda mais confiante!
PS: Se você conhece alguém que está em depressão passe esse texto, afinal o que você perde com isso?
Deus abençoe a todos
Miss. Débora Morais

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Série Relacionamentos - Operação RESGATE


Será que acabou? A resposta para essa pergunta vai depender do que você está procurando. Se acabou o casamento, o respeito, a confiança, a paciência, a tolerância, a coragem para continuar...
Será que acabou o amor? Este último se um dia existiu de verdade, ainda que todos os outros sentimentos tenham acabado, ele permanece em algum lugar.

Fico pensando numa equipe de resgate em um desastre de desmoronamento! O que eles vão resgatar? Eles não sabem o que vão encontrar, mas eles têm certeza que o que desejam encontrar são vidas. Infelizmente, nem sempre eles têm 100% de sucesso. Mas apesar de saberem dos riscos que até eles mesmos correm, eles não desistem de ir até o fim, até esgotarem as possibilidades. Ninguém quer voltar para casa com a sensação de que deixou alguém sofrendo ou gritando por socorro, perdendo suas últimas forças e morrendo enquanto ele só desistia e ignorava a vida alheia.

Enfim, a Palavra de Deus diz que quando o homem e a mulher se unem eles se tornam uma só carne. Então como você pode ver seu cônjuge, sua carne, sofrer, gritar por socorro, perdendo as forças, o relacionamento de vocês morrendo e a família sendo destruída e não fazer nada? Ou ainda que já tenha feito algo, se não deu resultado por enquanto, e ainda há possibilidades, porque não tentar resolver o problema e salvar seu casamento?
Mas estou tão cansado (a)! Você diz para Deus!
Será que devo continuar? Ainda depende do que você está procurando. Pergunte-se: eu procuro ter razão, ser superior, obter satisfação plena, corresponder expectativas irreais ou inatingíveis, ser alguém a contento da sociedade, ser o ideal do outro? Em nenhuma dessas buscas você, eu, ou qualquer um que ler esse texto terá sucesso. Nas quatro primeiras opções os objetivos são individuais e nas últimas duas são impossíveis. E vamos das velhas frases batidas “nem Jesus agradou a todos”! Logo, nem pense em ser um cônjuge perfeito, tão pouco em ter um.

Então o que fazer quando chego ao ponto de não saber como ajudar no resgate? Como continuar se não tenho mais forças para cavar ou carregar pedras? Onde encontrarei ânimo para lutar contra a enxurrada de problemas, o lamaçal de mentiras, as ofensas entulhadas como um esgoto entupido que não escoam as lágrimas que inundam meu ser, que afogam minhas esperanças e minam as estruturas da minha fé? Meu casamento está desmoronando e eu não sei mais o que fazer! Você continua dizendo à Deus. E com ele vários planos do casal, a alegria da família, a paz no lar e os propósitos de Deus para vocês.

Você precisa dar início a “operação RESGATE”!

Vamos conhecer a equipe, dividir tarefas e resgatar a vida deste amor?

Toda equipe tem um comandante, este tem seu encarregado que por sua vez tem seus ajudadores.
Traduzindo! Nosso comandante é Deus, é Ele que com sua visão do alto da sua superioridade e com toda a sua experiência nos diz onde, quando e como devemos agir para continuarmos unidos e firmes no objetivo. No casamento o encarregado de Deus para chefiar e coordenar as ações com base nos comandos do Senhor é o esposo e a ajudadora do mesmo é a esposa que confia que as ordens passadas não vão colocá-la em risco e precisam ser cumpridas para o bem comum da equipe.

Isto posto voltemos ao casamento vítima de desmoronamento! 

Se você é o encarregado/esposo não esqueça que Deus está no comando e Ele sabe como dirigir seus esforços, então confie nas ordens dEle, não se precipite em decidir nada sozinho, tão pouco abandone sua equipe (família) ou responderá como desertor e o comandante lhe cobrará pelas baixas que você provocar. 

Caso você seja a ajudadora/esposa e esteja cansada peça a ajuda de seu encarregado lembre-o de seu papel. Mas se está pensando em assumir o lugar do encarregado, cuidado, pois a responsabilidade é grande e foi delegada a ele do alto, portanto aquele que está sujeito não pode se insubordinar ao comandante (Deus) sob pena de ser acusado de golpe e ser encarcerado em grades de culpa. 

Lembre-se esposo e esposa vocês têm um comandante. Abaixo dEle somos todos iguais e o zelo é por todos da equipe. 

Esposa, embora, às vezes, você ache que ficou com o trabalho mais pesado e muitas vezes você pense que está carregando pedras (filhos, casa etc) enquanto o encarregado só dá ordens (na maioria das vezes), se analisarmos bem veremos que não é bem assim. O encarregado foi capacitado por Deus com os recursos que precisamos para complementar as nossas habilidades e nos ajudar fazer a nossa parte sem maiores preocupações.

Esposo é você quem deve oferecer a segurança e os meios das esposas serem ajudadoras. Lembre-se que ela faz parte da sua equipe e se você não zelar por ela irá perdê-la.  

Esposa se você tem problemas com seu encarregado recorra ao comandante. Não queira assumir um lugar que não é seu nem dizer ao encarregado/seu esposo que ele não é bom o bastante. Entregue-o nas mãos de quem tem experiência e soberania para corrigi-lo e ensina-lo a ser o que foi chamado para ser.

Esposo você tem atribuições diferentes, mas sua responsabilidade de liderar não faz de você comandante e o único que pode restaurar ou desfazer algo que Ele fez é Ele mesmo, "porque o que Deus uniu o homem não separa".

Sendo assim, em qualquer tarefa dada ao casal/equipe, seja: família, filhos, superar problemas financeiros ou de saúde, assumir ministério, dar testemunho, renovar votos, restaurar vidas, servir a Deus, em qualquer um desses objetivos, vocês precisam estar juntos e qualquer iminência de separação ou abandono os torna culpados.

Se você está casado (a), e não tem problemas ainda, continue fazendo a contenção com a Palavra de Deus e com a consagração do seu relacionamento para evitar desmoronamento. Entretanto, se você está CANSADO (a) e acha que abandonar seu casamento soterrado e deixar desamparados os dependentes dele (os filhos) é a melhor saída, eu sinto em dizer que você é um (a) covarde que acabou de abandonar seu lugar na equipe de resgate ignorando completamente as vidas envolvidas neste desastre. 

Se ainda havia chance? Eu não sei. Porém tenho certeza que se você confiar no meu comandante, você estará sempre fazendo a coisa certa.

Ah! E se você por um acaso pensa que pode decidir quem merece ou não a chance do resgate, está enganado. Arregace as mangas e faça o seu melhor, dê tudo de si, porque ninguém que se dispõe para salvar o outro o deve fazer por julgá-lo merecedor e sim porque encontra em si próprio amor pela vida do outro, assim com Cristo fez por nós. 

Portanto se você quer a resposta se você deve ou não continuar casado, se você deve ou não continuar amando, se você deve ou não resgatar sua aliança com seu cônjuge, eu lhe respondo: SIM! Mas o faça como Jesus fez para lhe resgatar: por amor e graça e não por merecimento seu ou interesse de retribuição por parte de Cristo.

Creia, faça o que lhe cabe e descanse no Senhor, pois ressuscitar é a parte dEle, mas tirar a pedra que sepultou é tarefa nossa.

Deus abençoe a todos.


Miss. Débora Morais  

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Série RELACIONAMENTOS! 2 de 3 - A um passo do altar... Vou ou não vou? Vou ou não vou?



Já estive aí onde você se encontra... Na dúvida! Talvez tenham sido muitos anos até aqui, talvez seja uma paixão avassaladora e você esteja prestes a tornar isso uma coisa mais séria. Se você é cristão, ou tem o mínimo de comprometimento com Deus eu preciso te lembrar: esse compromisso não é com o parceiro (a), nem com a sociedade. Seu compromisso ao casar é com Deus!!!
Foi Deus quem criou e instituiu o casamento, foi Ele quem realizou a primeira união entre o homem e a mulher e é lógico que, assim como tudo que Deus faz, esse sacramento tinha um propósito. Você precisa entender isso para decidir se você quer ou não servir ao propósito do Senhor.

Lembro que eu e meu esposo namoramos por pouco tempo, logo estávamos dividindo rotinas de casados, porém não havíamos consagrado ainda o relacionamento.

Você entende o que é consagrar um relacionamento? 

É dedicá-lo a Deus, é colocar a serviço dEle, para servir aos Seus propósitos, é reconhecer que é uma vontade dEle e por isso mesmo toda decisão é tomada entre o casal a partir do cumprimento das regras dEle (a Bíblia).
Enfim, consagrar é tornar algo sagrado, santo, puro, imaculado. Como isso é possível?

Relacionamentos nem sempre são harmoniosos, doces e perfeitos. NUNCA SÃO, NEM SERÃO! Não o tempo todo. 

Mas se o casal estiver com o mesmo propósito ao se unirem - servir a Deus, então pode ter certeza que as coisas se ajeitam e a felicidade acontece.  
Sendo assim, não busque ter certeza sobre felicidade plena ou um casamento completamente estável. Isso não existe! Estamos no mundo e nele teremos aflições. Com as aflições vêm as reações que geralmente são sofridas em maior escala pelo parceiro (a), que é quem acaba "pagando o pato" na maioria das vezes. Aí entra em campo  1 Coríntios13:7

"o amor tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta." 

Amo esse versículo!!! Para mim é como uma bússola para voltar a direção certa na hora do conflito no relacionamento. 
Gente isso é sério! Muitos casais pensam estar servindo a Cristo por que estão num relacionamento sério e sendo fieis, mas não estão consagrando seu namoro, noivado ou casamento.

Viver juntos nem sempre significa serem casados! 

Casar é professar para o mundo que a partir daquele momento você tem uma aliança com alguém para a vida toda. Assim como professar para o mundo que você aceita Jesus como provedor da vida eterna. É declarar que você tem em quem confiar, com quem compartilhar tudo de bom ou ruim que lhe acontecer, a quem dedicar seu tempo e atenção e que você vai servir ao propósito de Deus ao lado dessa pessoa.

Mas qual é mesmo o propósito de Deus?

Deus fez o homem a Sua imagem e semelhança. Deus quis a companhia do homem e deu ao homem a companhia da mulher. A relação de Deus com o homem e de Cristo com a igreja é representada através do casamento. O pecado é a representação de tudo que separa o homem de Deus. Porque o pecado nada mais é do que o fruto do desejo egoísta do homem em detrimento da vontade de Deus. Já numa relação, a separação acontece cada vez que cada um escolhe satisfazer apenas a si mesmo, esquecendo do Senhor e do parceiro (a).
Portanto se você tem dúvida se quer casar ou não , se vai ou não vai adiante, pergunte-se se está disposto (a) a abrir mão da sua razão e de suas vontades para servir a Deus e buscar ser e fazer o outro feliz com a mesma compaixão sem medida, e espera incansável de Deus, com a mesma entrega incondicional e plena de Jesus Cristo, sem nenhuma pretensão a não ser amar e ser amado!

Deus lhe abençoe!
Miss. Débora Morais


sexta-feira, 28 de abril de 2017

Série - RELACIONAMENTOS

1º DE 3 - É namoro ou amizade? É de Deus ou é um erro?



Escolher um parceiro para a vida toda não é tarefa fácil! Mas é tarefa nossa. Afinal temos o livre arbítrio. Se você está esperando Deus colocar em seu caminho alguém com um sinal na testa ou com uma placa luminosa dizendo “eu sou o amor de sua vida”, ESQUEÇA! Não vai rolar!
Vamos esclarecer algo que se você é cristão já deve saber: não existem almas gêmeas! Não há um sapato velho específico para o seu pezinho cansado. Não há uma única pessoa no mundo inteiro que está predestinada a você. Não podemos crer neste absurdo. É um mito muito romântico e fantasioso que se assim fosse e este alguém não crendo nele escolhesse outra pessoa que não fosse você, o hipotético par perfeito, então você estaria em uma situação muito ruim, fadado (a) a passar a vida inteira esperando-o aparecer com o sinal na testa ou com a placa luminosa.
Dito isto você deve estar se perguntando: porque somos orientados por nossos líderes e pelos anciãos de nossa igreja a orar pedindo a Deus o “varão (a)”?
 Porque só Deus pode lhe oferecer os parâmetros para que essa escolha seja acertada, assim como para todas as escolhas de nossa vida. Vou citar cinco orientações aqui, fundamentadas em uma escolha dentro do ideal de Deus para nós. Faço isso para lhe ajudar a enxergar possibilidades, resolver dilemas e até definir amizades indefinidamente íntimas, daquelas que você não sabe se chama de amizade, de namoro ou de pecado da fornicação. Peguei pesado? Agora imagine se já fosse o juízo! Pois é! Se apresse! Vamos definir esse rolo! Não tem rolo? Ótimo, porque se você seguir os passos que detalharei aqui enrolado (a) você, definitivamente não será, nem por satanás nem por ninguém!

Vamos ao que interessa!

1 - Espere! Seja paciente! Aliás essa é uma frase que você deve experimentar em várias fases do relacionamento, desde o conhecer até o conviver. Não tenha pressa para namorar, para ter experiências mais íntimas, para estabelecer vínculo matrimonial. Não faça nada, você cristão, por nenhum motivo que não seja exclusivamente “servir ao Senhor”. Paixões acontecem. Emoções fortes passam. Sentimentos superficiais acabam. Tenha a paciência de um pássaro ao construir seu ninho. Procure segurança, coloque um galhinho de cada vez, os mais fortes na base e depois acrescente as folhagens até ele se tornar um lugar tranquilo e seguro não só para você, mas para o parceiro e a futura família. No literal? Passe pelas etapas, todas elas, sem pressa, certificando-se que pode dar o próximo passo, de que é confiável colocar mais peso nessa relação.
2 - Estabeleça o centro dessa relação (a base). Sabe o tronco onde se faz o ninho? Deus! Coloque Ele na base. Se houver respeito aos mandamentos ou ao menos temor e fé, siga adiante. Minha experiência com meu esposo poderia desfazer desse conselho se for mal interpretada. Ele nascido e criado na igreja, em comunhão, de repente conhece uma recém separada, fumante, beberrona, toda tatuada e cheia de amigas farristas. Mas ele desde que me conheceu convidou o Senhor para ser o centro da nossa relação, toda vez que me encontrava me evangelizava e só foi em frente porque eu demonstrei ter temor e fé, insistiu até o dia em que aceitei Jesus como Salvador. Agradeço muito a meu amado por ter acreditado no poder transformador de Deus. Não estou lhe aconselhando a procurar parceiros fora da comunhão, só alertando que se você se envolveu com alguém que não comunga de sua fé, mas você crê no poder do Espírito Santo, então faça sua parte e pregue o evangelho para essa pessoa e dê bom testemunho, porque meu esposo se negou a ter relação sexual comigo por respeito a Deus e isso me fez crer que eu também podia deixar minhas crenças e vontades de lado por Ele.
3 - Comungue sua perspectiva! Converse a respeito de quem é Deus para você, como é a sua relação com Ele e como isso influenciará neste relacionamento. O ditado diz que “dois duros não levantam muro”. Como você pretende terminar o ninho se não houver comunhão? Para dar certo é preciso passar pela etapa da conversa. Sei que para a sociedade em geral o casamento é um sacramento dissolúvel, mas para Deus não é! Muito menos para quem professa ser cristão. Jesus pregou que o divórcio acontecia em caso de adultério por conta dos corações duros. Todas as situações de conflito podem ser resolvidas com tolerância, perdão e comprometimento com o bem do outro. Logo é preciso, antes mesmo de começar a se relacionar, conversar sobre qual a visão de namoro, compromisso e casamento de ambos. Falar sobre criação de filhos e sobre assuntos polêmicos como a interpretação de submissão da mulher e de coparticipação do homem nas tarefas domésticas. Somos frutos de educações diferentes e precisamos definir como será o padrão do nosso relacionamento e não cair cada qual com seu paraquedas cheios de preconceitos, crenças, costumes e imposições.
4 - Respeite as diferenças e ajuste o que puder para se adequarem. Um relacionamento onde há conflitos entre você e a família dele (a) ou vice e versa não pode durar muito tempo. Pai e mãe são pessoas muito importantes e filhos também. O bem-estar entre todos vai criar uma atmosfera mais propícia para um relacionamento saudável. Ninguém é obrigado a crer no que você crê, nem você precisa, nem deve sair dos parâmetros de Deus para agradar aos outros, mas estabeleça uma relação de respeito na qual os momentos de encontro sejam de alegria e não de conflitos. Se caso contrário não houver esta troca você terá vários problemas para integrar as famílias e vai causar desconfortos dentro da sua relação.
5 - Dê o que quer receber! Não aceite do outro o que não é bom para você! Estamos falando dentro de uma perspectiva cristã. Por que essa observação? Às vezes, na maioria das vezes, nós fazemos um joguinho de sedução. Fingimos não nos importar com algumas coisas ou não gostar tanto do outro, ou não desejar tanto a sua presença. Tudo tem limite, ou deveria ter. Enxergue esses limites para não perder tempo e não “perder o fio da meada”. Trocando em miúdos: não seja influenciado por jogos de sedução. Seja sincero (a), franco (a) e direto (a). Seja também sensato (a) e ponderado (a). Não exagere nas doses! E se exagerarem com você ou se não te oferecem o mínimo de atenção que você precisa, então esclareça as coisas e resolva se vai ou se racha. O segredo da medida certa é a conversa sincera.
No mais, fica a dica: continue orando, faça um desenho mental do homem/mulher dos seus sonhos (falando de personalidade e caráter) e deixe Deus abrir seus olhos para ver o que é necessário e não o que você quer ver.

Deus abençoe a todos!
Miss. Débora S. Morais 

quarta-feira, 26 de abril de 2017

OS PLANOS DE DEUS...


Daniel morreu! Um garoto jovem cheio de planos, trabalhador, namorando uma menina de família, preocupado com o bem estar da família. Foi assassinado "por engano" enquanto trabalhava de moto taxista em Simões Filho na última segunda-feira 24 de abril de 2017.
Não estava nos planos de Daniel morrer naquela tarde. Não estava nos planos de sua mãe que ele não voltasse para casa nunca mais depois daquela despedida. Não estava nos planos de sua irmã caçula crescer sem a proteção de seu irmão. Não estava nos planos de sua namorada perder o namorado. Não estava nos meus planos escrever sobre isso hoje.
Mas estava nos planos de Deus que um dia a mãe de Daniel conhecesse meu cunhado Robson (que Deus já levou) e através dele, que foi nascido e criado no evangelho, ela pudesse conhecer a Palavra de Deus e pudesse trazer seu filho Daniel para assistir a um culto. Estava nos planos de Deus que a partir disso Daniel tivesse temor e soubesse dos planos Deus para a humanidade.
Naquela tarde, estava nos planos de Deus que um servo dele, do qual não sei o nome nem igreja em que congrega, fosse ao culto de sua igreja. Talvez não estivesse nos planos do irmão ir àquele culto, ou ficar até aquela hora, ou voltar para casa por aquele caminho.
No entanto estava nos planos de Deus que este servo passasse por Daniel no momento em que ele agonizava de dor, alvejado por tiros que não eram para ele, e neste momento este homem pegou Daniel em seus braços e disse-lhe que não tivesse medo e perguntou: VOCÊ CRÊ QUE JESUS É O SEU SALVADOR E QUE VOCÊ PODE VIVER COM ELE NA GLÓRIA? (não sei se foram exatamente estas as palavras).
Mas tenho plena convicção de que Deus planejou que aquele servo lembrasse a Daniel do plano de salvação através de Jesus Cristo, e mesmo sem conseguir falar, Daniel acenou com a cabeça aceitando entrar no Seio de Abraão naquele momento pela fé em Jesus Cristo, Filho de Deus! E assim foi.
Glorificado seja o nome do Senhor por ter planos tão perfeitos para aqueles que creem e confessam!
Fato verídico para que todos creiam que, não importa como a morte vai chegar, Deus tem planos para lhe dar vida eterna...

Deus abençoe a todos!
Miss. Débora Morais

Texto 2 de 3 - Série Depressão

Onde está a alegria? No texto 1 vimos que a depressão é identificada quando o quadro de tristeza de um indivíduo se mostra prolonga...